Vaclav Havel faz duras críticas a Vaclav Klaus

O ex-presidente checo Vaclav Havel, figura histórica da queda do comunismo na Checoslováquia em 1989, classificou ontem como irresponsável e perigosa a posição do actual chefe do Estado, Vaclav Klaus, sobre o Tratado de Lisboa.

Havel comentava a condição imposta pelo Presidente da República Checa para avançar com a ratificação do documento. Klaus exige uma excepção para o seu país na aplicação da Carta dos Direitos Fundamentais, anexa a Lisboa, protegendo o país de qualquer acção que vise a restituição dos bens confiscados à minoria germânica expulsa da Checoslováquia após a II Guerra Mundial. "Considero isso muito irresponsável e muito perigoso", declarou o dramaturgo durante uma conferência de imprensa, em Praga, para assinalar o vigésimo aniversário da Revolução de Veludo de 1989.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG