Um escândalo que indigna os irlandeses

Três letras apenas ilustram o escândalo que nos últimos dias desviou a atenção dos irlandeses da campanha para o referendo. Rody Molloy, ex-director-geral da FAS - o equivalente, em Portugal, ao Instituto de Emprego e Formação Profissional - negociou a sua saída do cargo por uma indemnização no valor de um milhão de euros. O escândalo agravou-se quando a vice-primeira-ministra da Irlanda, Mary Coughlan, tentou justificar a decisão garantindo que Molloy ameaçara pôr o Estado em tribunal. No dia seguinte, o primeiro-ministro, Brian Cowen, desmentiu-a, dizendo que tal ameaça afinal nunca existira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG