UE preocupada com a condenação de opositor russo

A União Europeia declarou a sua "preocupação" depois da condenação hoje do opositor russo Alexei Navalny a cinco anos de prisão, referindo que o caso "levanta sérias dúvidas" sobre o estado de direito na Rússia.

A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, "está preocupada pelo julgamento e pela pena de prisão aplicada a Alexei Navalny e ao outro acusado, Piotr Ofitserov, anunciados pelo tribunal de Kirov (...)", referiu o porta-voz de Catherine Ashton num comunicado.

O empresário Piotr Ofitserov foi condenado a quatro anos de prisão.

"As acusações contra os dois não foram comprovadas durante o julgamento", lê-se no documento.

"Dadas as lacunas processuais, este julgamento coloca sérias questões sobre a situação de estado de direito na Rússia", acrescenta-se na nota, em que Ashton aponta o papel essencial desempenhado pela sociedade civil na defesa dos direitos humanos.

De acordo com o documento, Catherine Ashton "espera que as condenações sejam reexaminadas durante o processo da apelação".

Alexei Navalny, um advogado de 37 anos que se tornou um líder contra o Presidente Vladimir Putin, foi algemado e preso na sala do tribunal depois de ser considerado culpado num caso de desvio de fundos que envolvia uma exploração florestal em 2009.

Navalny afirma que as acusações feitas foram fabricadas.

O chefe do grupo dos liberais no parlamento europeu, Guy Verhofstadt, declarou-se "escandalizado" pelas condenações.

"Este julgamento político não deixa dúvida de que os vigaristas e ladrões têm alta influência em Moscovo", declarou o líder parlamentar num comunicado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG