Tribunal Constitucional ordena recontagem dos votos

O Tribunal Constitucional da Moldávia ordenou hoje a recontagem dos votos das eleições parlamentares de domingo passado, que deram a vitória aos comunistas, mas cujos resultados são contestados pela oposição.

"O Tribunal Constitucional encarregou a Comissão Eleitoral Central de, num prazo de até nove dias, recontar os votos dos eleitores em conformidade com a lei eleitoral. A decisão do Tribunal Constitucional entrou em vigor hoje", comunicou aos jornalistas Dmitri Pulbere, presidente do Tribunal Constitucional.

O pedido de recontagem de votos tinha sido apresentado pelo Presidente da República, Vladimir Voronin, também dirigente do Partido dos Comunistas da Moldávia, a fim de conseguir "a estabilização do país".

A oposição organizou acções de protesto no início da semana passada a fim de exigir a recontagem de votos, mas elas terminaram em confrontos que provocaram cerca de 200 feridos e importantes dados materiais.

Porém, agora, a oposição diz que a recontagem pedida por Voronin é apenas uma manobra para "distrair a oponião pública".

Segundo os resultados publicados pela Comissão Eleitoral Central da Moldávia, o Partido dos Comunistas conquistou 60 dos 101 mandatos no Parlamento, enquanto os três partidos da oposição conseguiram 41.

Se estes resultados se concretizarem, o Partido dos Comunistas precisará pelo menos do voto de um deputado para eleger o sucessor de Vladimir Voronin no cargo de Presidente da República.

Hoje foi anunciado que um dos participantes nas manifestações de protesto faleceu, tendo os seus parentes atribuído a causa da morte a "fortes espancamentos" da polícia, mas o Ministério do Interior afirma que ele sucumbiu devido à acção do gás que foi empregue para repôr a ordem.

Cerca de duas mil pessoas saíram para as ruas de Chisinau para continuar os protestos contra o Presidente Voronin, mas a manifestação terminou sem incidentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG