Tratado de Lisboa: Polónia promete assinar depois da Irlanda

Kaczynski promete assinar tratado de Lisboa no dia em que chegar o “sim” irlandês. O presidente polaco, eurocéptico, garante que não será a Polónia a impedir UE de reformar as instituições.

O Presidente polaco Lech Kaczynski prometeu hoje que assinará o tratado de Lisboa no dia em que os irlandeses derem o “sim” a esse documento.

“No dia em que os nossos amigos irlandeses aceitem esse tratado, no próprio dia em que forem anunciados os resultados oficiais, eu assiná-lo-ei,” afirmou o chefe de estado durante um encontro com o seu homólogo alemão, Horst Köhler.

“Eu já o repeti muitas vezes: a Polónia não colocará obstáculos à sua [do tratado] entrada em vigor,” acrescentou.

Por seu lado, o Presidente alemão prometeu dar a sua assinatura logo que termine o debate no Parlamento sobre um alteração à lei interna, mas não também não avançou com uma data específica.

O processo de ratificação na Alemanha foi suspenso por ordem do Tribunal Constitucional que impôs como condição a aprovação de uma lei que salvaguarde os direitos do Parlamento alemão.

Redigido depois do chumbo da Constituição Europeia, em 2005, o Tratado de Lisboa, que reformará e dará mais poderes às instituições europeias, tem de ser aprovado pelos 27 estados para entrar em vigor.

Até agora, já foi ratificado por 23. O seu futuro joga-se a 2 de Outubro o dia referendo irlandês – o segundo – ao tratado. Da primeira vez, venceu o não.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG