Transportes de Atenas parados pelo segundo dia

O metro e os elétricos de Atenas estão hoje em greve pelo segundo dia consecutivo, contra o aumento das medidas de austeridade anunciadas recentemente pelo Governo.

Nas ruas da capital grega registam-se enormes engarrafamentos, dado que muitos habitantes tiveram de recorrer a viaturas particulares para se deslocarem para o trabalho, apesar de os autocarros e os táxis circularem, ao contrário do que aconteceu na quinta-feira quando todos os transportes públicos estiveram parados.

Os sindicatos do sector dos transportes já anunciaram mais paralisações para a próxima semana e os taxistas têm prevista uma greve de 48 horas para quarta e quinta-feira próximas, em mais uma etapa da mobilização que iniciaram em Julho contra a mudança dos critérios para a obtenção de licenças.

A contestação na Grécia deverá aumentar ainda mais a 19 de Outubro com uma greve geral nos sectores público e privado contra as novas medidas de austeridade anunciadas face à derrapagem do défice orçamental e na tentativa de garantir em Outubro mais uma prestação do empréstimo internacional concedido ao país.

As novas medidas incluem um alargamento do leque fiscal e o "desemprego técnico" para milhares de funcionários públicos.

O ministro das Finanças, Evangélos Vénizélos, pediu o apoio do parlamento para este novo pacote de austeridade, depois de ter informado o Presidente da Grécia, Carolos Papoulias, da situação "extremamente crítica" em que se encontra o país, à beira da rutura financeira.

O Pasok, partido socialista, dispõe de uma maioria de 154 deputados num total de 300 lugares no parlamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG