Timo Soini diz que fundo de resgate é um cartel de extorsão

Líder dos Finlandeses Verdadeiros explica no Wall Street Journal porque é contra o actual modelo de pacotes de ajuda a países com grave crise da dívida como Portugal

Timo Soini, líder dos Finlandeses Verdadeiros, explica que é contra os actuais pacotes de ajuda financeira negociados para a Grécia, Irlanda e Portugal por considerar que o fundo de resgate europeu não passa de um cartel político de financeiro montado para extorquir os países em dificuldades.

"Porque é que o esquema de extorsão Bruxelas-Frankfurt obrigou estes países a aceitar dinheiro juntamente com planos de recuperação que vão inevitavelmente falhar? Porque precisam, de agradar aos bancos-esbanjadores-de-impostos, que caso contrário poderiam não aparecer nos próximos leilões da dívida espanhola, belga, italiana ou, até mesmo, francesa", escreve o polémico líder nacionalista no Wall Street Journal.

Soini, cujo partido foi o terceiro mais votado nas legislativas, está a negociar a sua entrada no próximo Governo da Finlândia. Mas já avisou desde o início que não apoia mais resgates. Eurodeputado, desde 2009, o líder dos Finlandeses Verdadeiros escreve que José Sócrates foi forçado a pedir ajuda.

"Como ex-ministro das Finanças, Brian Lenihan revelou recentemente que a Irlanda foi obrigada a aceitar o dinheiro. O mesmo aconteceu com o primeiro-ministro português, embora ele não esteja tão perto de o admitir como o senhor Lenihan", sublinha o político filandês no seu artigo de opinião.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG