"Tenho passaporte russo mas sou francês"

"Tenho passporte russo mas sou francês", disse hoje o ator Gerárd Depardieu na cerimónia de entrega da Bola de Ouro, em Zurique. No mesmo dia ficou a saber que a sua audiência pela infração de conduzir alcoolizado, marcada para esta terça-feira, num tribunal de Paris, não foi adiada. A sua comparência é ainda uma incógnita.

Gérard Depardieu, convocado a comparecer amanhã ao tribunal de Paris por dirigir embriagado, não conseguiu um segundo adiamento da audiência. O ator francês, que acaba de receber seu passaporte russo, está hoje na Suíça para a cerimónia apresentação da Bola de Ouro da FIFA, que decorre esta noite em Zurique.

Segundo declarações de seu advogado, Eric de Coumont, à AFP, o ator, de 64 anos, pode não comparecer em tribunal devido a "indisponibilidade profissional" . O advogado disse que comparecerá no tribunal para tratar do caso, mas não esclareceu se o seu cliente também o fará.

No dia 29 de novembro, Depardieu envolveu-se em um acidente de moto sem gravidade, em Paris. Foi detetada uma alta taxa de álcool no seu sangue (1,8g por litro), enquanto o permitido em França é de 0,5g por litro, no máximo. Conduzir alcoolizado é punível no país com multa de 4 500 euros e uma pena de até dois anos de prisão, além de perder 6 pontos em doze na carteira de motorista francesa.

O ator francês anunciou recentemente planos para deixar a França e devolver seu passaporte para escapar a impostos franceses que considera demasiado pesados. Gérard Depardieu recebeu ontem seu passaporte russo das mãos do Presidente da Rússia, Vladmir Putin. Foi recebido com grande alarido em Saransk, cidade de 300 mil habitantes e capital da Mordóvia, que fica a 640 km para leste de Moscovo.Entretanto, Depardieu declarou já hoje, em Zurique: "Eu tenho um passaporte russo, mas sou francês".

Esta noite, o ator está entre os convidados da apresentação da Bola de Ouro FIFA. Durante a cerimónia, o troféu de melhor jogador de 2012 será atribuído a um dos três finalistas: o português Cristiano Ronaldo, o argentino Lionel Messi ou espanhol Andrés Iniesta. Sobre seu preferido, disse: "Eu gosto muito do Cristiano Ronaldo. Penso que ele está com o orgulho ferido depois de algum tempo, porque ele não é recompensado. É tempo, eu acho, para restaurar sua confiança".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG