Suu Kyi emocionada com Honoris Causa

A líder da oposição birmanesa, Aung San Suu Kyi, disse hoje estar muito emocionada quando estava a ser homenageada pela Universidade de Oxford, na cidade onde estudou e formou a sua família.

"Hoje foi muito comovente", disse Suu Kyi, de 67 anos, num discurso após ter recebido um doutoramento Honoris Causa em direito civil.

"Durante aqueles anos difíceis que passei em prisão domiciliária fui encorajada pelas minhas memórias de Oxford. Elas ajudaram-me a enfrentar os desafios", adiantou.

A dirigente da oposição birmanesa recebeu o título das mãos do reitor da Universidade e antigo governador de Hong Kong, Chris Patten.

"Defensora inflexível da liberdade, que deu ao seu povo e a todo o mundo um exemplo de coragem e resistência", declarou Patten sobre Aung San Suu Kyi antes de lhe entregar o doutoramento, perante mais de mil professores universitários e estudantes da Universidade onde a prémio Nobel da Paz estudou política, filosofia e economia em meados dos anos 1960.

O doutoramento foi atribuído a Suu Kyi em 1993, mas tal como com o Nobel da Paz que ganhou em 1991, só agora o pode receber, quando efetua a primeira viagem à Europa em 24 anos.

A opositora birmanesa viveu quase duas décadas em Oxford (sul de Inglaterra), onde criou os seus filhos Alexander e Kim com o seu marido inglês Michael Aris.

Em 1988 voltou à Birmânia para cuidar da mãe e só voltou agora à Europa, após mais de 15 anos de prisão domiciliária durante a ditadura militar e depois de em abril ter sido eleita deputada.

"O caminho não se apresenta fácil, mas Oxford, eu sei, espera o melhor dos seus", disse no discurso.

Referindo que gostaria de ver as universidades da Birmânia recuperarem do que passaram sob o regime dos militares, Aung San Suu Kyi indicou que ficaria "muito grata" se a sua antiga universidade pudesse ajudar.

A política birmanesa, que iniciou na quinta-feira uma deslocação à Europa, tendo estado já na Suíça, Noruega e Irlanda, deve dirigir-se na quinta-feira ao Parlamento britânico e encontrar-se com o primeiro-ministro, David Cameron, e com o príncipe Carlos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG