Surto está a chegar ao fim na Alemanha

O surto de infecções com a bactéria intestinal E.coli, detectado em princípios de maio na Alemanha está a chegar ao fim neste país, anunciou hoje em Berlim o Instituto Robert Koch (RKI), agência federal para o combate a doenças.

"Há diversos índices que apontam para o fim do surto infeccioso", diz um comunicado de imprensa do RKI, adiantando que o número de novos contágios continua a descer.

De quinta para sexta-feira, altura em que foi feito o último levantamento, foram conhecidos apenas mais 48 novos casos em todo a Alemanha.

Desde que o surto teve início, em princípios de maio, 4.047 pessoas foram infectadas com a bactéria E.coli, 845 das quais com a estirpe mais perigosa, conhecida por 0104, que pode provocar a paralisação da função renal e danos cerebrais e conduzir à morte.

Na Alemanha, faleceram entretanto 48 pessoas devido a infecção com a bactéria. Uma cidadã alemã morreu na Suécia e em França foi também registada uma morte.

A origem da contaminação foi atribuída a rebentos vegetais distribuídos por uma exploração agrícola de Bienenbuttel, na Baixa Saxónia, confirmaram peritos alemães em 10 de Junho.

Anteriormente, chegou a supôr-se que a origem do surto fossem pepinos importados de Espanha, o que levou as autoridades sanitárias germânicas a desaconselharem o consumo de pepino, tomate e salada crús, durante várias semanas.

O alerta provocou sérios prejuízos aos horticultores espanhóis, mas também da Alemanha e de outros países, que serão agora parcialmente indemnizados por um fundo especial criado pela União Europeia.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG