Solana quer deixar cargo em Outubro

A substituição do Alto Representante da União Europeia para a Política Externa está à espera da entrada em vigor do novo Tratado de Lisboa. Ele é que não parece disposto a esperar mais

O Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, o espanhol Javier Solana, não quer prolongar a sua missão, que termina em Outubro, após dez anos de trabalho, declarou hoje ao jornal ABC.

“Tinha um mandato de dez anos que cumpri. Não prevejo continuar depois disso”, indicou Solana. “Creio que chegou a minha hora”, disse ao jornal espanhol, acrescentando sentir-se “tranquilo e satisfeito”.

Solana foi designado para o cargo em Outubro de 1999 e reconduzido em 2004. Antes foi secretário-geral da NATO, entre 1995 a 1999.

Questionado sobre o seu futuro, Solana declarou que esta decisão não significava parar. “Sou activo há vários anos e não vou parar. Há muitos lugares onde posso ser útil”, acrescentou.

O antigo ministro socialista do governo de Felipe Gonzalez precisou que “não participará na vida política espanhola”, descartando, à partida, qualquer papel no Governo de José Luis Rodríguez Zapatero.

A substituição de Solana tem sido atrasada por causa da entrada em vigor do Tratado de Lisboa, que fortalece o cargo por ele agora ocupado. O seu substituto não é, até ao momento, conhecido. Mas já há vários nomes a circular.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG