Segundo espetáculo do humorista Dieudonné proibido

A justiça francesa proibiu hoje um segundo espetáculo do polémico humorista Dieudonné, condenado por antissemitismo em diversas ocasiões, quando se intensifica o debate sobre censura e liberdade de expressão em França.

Na sequência da decisão do Conselho de Estado, a mais alta jurisdição administrativa, anunciada quinta-feira e que proibiu o espetáculo de Dieudonné em Nantes (oeste), o 'show' previsto para hoje em Tours foi também interditado, de novo sob a alegação de "risco de distúrbios da ordem pública" e de "atentado à dignidade humana".

Os advogados e apoiantes de Dieudonné M'Bala M'Bala, um mestiço franco-camaronês de 47 anos, denunciaram uma obstinação inédita do poder e a censura do espetáculo "O Muro", já apresentado em Paris antes de uma digressão por França e na Suíça, e onde estão incluídas acusações contra os judeus.

O ministro do Interior, Manuel Valls, na origem da circular que pede aos presidentes de câmara para proibirem o seu espetáculo, disse pretender prosseguir "o combate" contra "a palavra racista e o antissemitismo".

Hoje, a Liga dos Direitos Humanos (LDH) manifestou o seu ceticismo face a uma decisão jurídica "com pesadas consequências para a liberdade de expressão".

"O juiz não fez prevalecer a liberdade de expressão sobre a proibição e trata-se de uma decisão plena de perigos", comentou o seu presidente, Pierre Tartakowsky.

O antigo ministro socialista da Cultura, Jack Lang, um professor de Direito, também considerou hoje que a decisão do Conselho de Estado "contém o germe de graves riscos para a liberdade de expressão".

A decisão de quinta-feira significa uma rutura com anteriores práticas da jurisprudência, e quando nos últimos anos os tribunais invalidaram em 15 ocasiões a proibição de espetáculos do humorista em nome da liberdade de expressão.

Na perspectiva de diversos especialistas, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos poderá questionar a decisão do Conselho de Estado francês, quando a França já foi condenada diversas vezes por violações do princípio da liberdade de expressão.

Devido à decisão de censurar os espetáculos, é esperado um aumento da audiência de Dieudonné na internet, onde o comediante já tem larga popularidade. Alguns dos seus vídeos já foram vistos por mais de dois milhões de visitantes, e cerca de 500.000 pessoas "gostam" da sua página no Facebook.

Nos próximos dias deverão ser pronunciadas novas proibições, designadamente em Paris onde está prevista uma representação para quinta-feira.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG