Reino Unido: Igualdade de mulheres e homens na sucessão

Os 16 países membros da Commonwealth acordaram alterar as regras de sucessão ao trono de Inglaterra para acabar com a primazia masculina, anunciou hoje o primeiro-ministro britânico.

As mudanças aprovadas vão também permitir aos futuros herdeiros do trono casar com alguém católico sem ter de renunciar à coroa.

"Vamos pôr fim à primazia masculina de maneira a que a ordem de sucessão seja determinada simplesmente pela ordem de nascimento", disse David Cameron em Perth (sudoeste da Austrália), onde decorre a 21.ª Cimeira da Commonwealth.

Com esta alteração, explicou, se os duques de Cambrige, William e Kate, tiverem uma filha, essa filha será um dia rainha de Inglaterra.

"Decidimos também eliminar a regra que determina que aquele ou aquela que casar com um católico não pode tornar-se monarca", acrescentou o primeiro-ministro britânico, numa conferência de imprensa.

A sucessão da coroa do Reino Unido é regulada pela Lei da União (1800).

Até agora, as autoridades britânicas tinham-se mostrado reticentes quanto a uma revisão das regras de sucessão dado o risco de ela não ser adoptada pelos 16 países que têm a rainha como chefe de Estado ou de o assunto alimentar movimentos anti-monarquia.

A questão voltou no entanto à actualidade depois do casamento do príncipe William, segundo na ordem de sucessão ao trono, e a celebração em 2012 dos 60 anos de reinado de Isabel II.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG