Quatro responsáveis de banco islandês condenados

Três antigos dirigentes do banco islandês Kaupthing, que faliu, foram condenados hoje em Reiquejavique por fraudes, com penas até cinco anos e meio de prisão. Um acionista foi sentenciado a três anos.

Os três dirigentes foram julgados por terem omitido que a compra em 2008 pelo sheik Mohammed Bin Khalifa Bin Hamad al-Thanium, do Qatar, de 5,1% do banco, em plena crise financeira, foi efetuada com um empréstimo do próprio banco.

O antigo diretor geral Hreidar Mar Sigurdsson foi condenado a cinco anos e meio de prisão e o antigo presidente Sigurdur Einarsson a cinco anos. O antigo diretor da filial luxemburguesa Magnus Gumundsson, que desempenhou um papel decisivo no empréstimo, vai cumprir três anos e meio de cadeia.

Além destes, um importante acionista que deu o seu consentimento à operação, Olafur Olafsson, foi sentenciado a três anos de prisão.

Todos foram reconhecidos culpados por terem desrespeitado as obrigações de transparência e de terem manipulado o mercado bolsista.

No final de setembro de 2008, num período em que o sistema bancário islandês estava em plena degradação, o surgimento de Mohammed bin Khalifa al-Thani, um investidor do Qatar, foi saudada pelo banco Kaupthing como um sinal de evidente solidariedade.

No entanto, o banco declarou falência no mês seguinte, na sequência do pânico generalizado desencadeado pela falência do banco norte-americano de investimentos Lehman Brothers.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG