Protesto dos ursos de peluche de volta às ruas de Minsk

O protesto dos ursos de peluche voltou hoje às ruas de Minsk. Defensores da liberdade de expressão e de imprensa e opositores do regime do Presidente Alexander Lukashenko juntaram-se esta manhã, no centro da capital bielorrussa, para apoiar Anton Suryapin, um estudante de jornalismo detido por apoiar o movimento que está a gerar polémica no país e até incidentes diplomáticos.

O protesto de dois suecos que lançaram oito mil "teddy bears" com mensagens de liberdade, a 4 de julho, continua a criar polémica. Desta vez porque Anton Suryapin, um estudante de jornalismo bielorusso, foi detido por ter fotografado e publicado fotografias dos brinquedos na internet.

Duas jornalistas bielorrussas foram também detidas por posarem para fotografias a segurar os ursos. Irina Kozlík, de 27 anos, do jornal 'Komsomolskaya Pravda' e Yulia Doroshkevish, de 31 anos, fotógrafa, foram multadas em 3 milhões de rublos bielorrussos (cerca de 300 euros) cada.

O regime de Alexander Lukashenko puniu também os dois chefes militares que permitiram o lançamento dos ursinhos de peluche de uma avioneta sueca que, segundo ele, violou o espaço aéreo da Bielorrussia. Igor Rachkovsky e Dmitri Pajmelkin foram destituídos dos seus cargos.

A Suécia anunciou, a 8 de agosto, que todos os seus diplomatas foram expulsos da Bielorrússia, cinco dias depois de o seu embaixador ter sido expulso de Minsk. A Bielorrússia encerrou ainda a sua embaixada em Estocolmo, na Suécia.A União Europeu já condenou Minsk por causa dos incidentes relacionados com toda esta polémica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG