Presidente da Caja Madrid volta à cadeia, sem fiança

Um Tribunal de Instrução Madrileno ordenou hoje que o ex-presidente da Caja Madrid, Miguel Blesa, fosse detido, sem fiança, por supostas irregularidades na compra do National City Bank of Florida, nos Estados Unidos.

Miguel Blesa, que já tinha estado preso há três semanas, está a ser investigado por supostos crimes corporativos, administração desleal, falsificação de documentos e possível apropriação indébita, noticia a agência espanhola Efe.

Já em meados de maio, o tribunal tinha decretado a prisão preventiva ao ex-presidente do banco, que foi chamado a depor de urgência no âmbito do processo que investiga um empréstimo de 26,6 milhões de euros ao antigo dono do Grupo Marsans.

A medida cautelar da altura foi imposta pelo juiz Elpidio José Silva que investiga o caso sobre a compra do City National Bank da Florida pela Caja Madrid.

O magistrado Elpidio José Silva, juiz instrutor do processo, decidiu hoje que Miguel Blesa devia ser detido sem fiança.

Já em fevereiro, o magistrado tinha considerado existirem "indícios de criminalidade" na gestão de Blesa à frente da Caja Madrid, o banco forte do PP em Espanha e, atualmente, integrada no Bankia, banco nacionalizado devido às elevadas perdas e alvo de assistência por parte da Europa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG