Polícia europeia investiga extremistas de direita

A organização europeia de cooperação policial Europol divulgou esta segunda-feira que pretende fazer um "retrato exacto e actualizado do extremismo de direita" na Europa, nomeadamente nos países nórdicos

"Estamos a preparar um retrato exacto e actualizado do extremismo de direita na Europa, particularmente no norte da Europa", afirmou o porta-voz da Europol, Soren Pedersen, em declaração à agência noticiosa francesa AFP.

O anúncio da "polícia europeia" surge na sequência dos ataques perpetrados na sexta-feira passada na Noruega, que fizeram 76 mortos.

A organização europeia disponibilizou todo o apoio possível às autoridades norueguesas e montou um centro operacional composto por cerca de 50 peritos em serviços de informação, investigadores e especialistas em explosivos e terrorismo.

A Europol pediu ainda a colaboração de peritos de diferentes forças policiais europeias, incluindo da britânica Scotland Yard, para traçar o retrato dos movimentos de extrema-direita presentes no território europeu.

"É difícil ainda dizer quanto tempo irá demorar, mas deverão colaborar com a Europol durante uma ou duas semanas", indicou Pedersen.

Anders Behring Breivik, 32 anos, reconheceu na segunda-feira diante do tribunal a autoria dos dois atentados que tiveram como alvo a sede do governo norueguês, no centro de Oslo, e um acampamento de jovens do Partido Trabalhista norueguês, realizado na ilha de Utoeya, perto da capital norueguesa.

Breivik, um antigo militante de uma formação da direita populista norueguesa, o Partido do Progresso, é considerado pela polícia como um "fundamentalista cristão".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG