Polícia britânica vai investigar morte do oligarca russo Berezovsky

A polícia britânica anunciou hoje que lançou uma investigação completa à "inexplicável" morte do oligarca e dissidente russo Boris Berezovsky, que morreu esta manhã em Londres.

"A polícia de Thames Valley lançou uma investigação à morte de um homem de 67 anos numa propriedade em Ascot, Berkshire. A sua morte está atualmente a ser tratada como 'inexplicável' e uma investigação completa está a decorrer", anunciaram as autoridades num comunicado citado pela agência AFP.

"A área em torno da propriedade foi fechada de forma à investigação avançar. A investigação está neste momento numa fase inicial e serão divulgados mais detalhes quando os mesmos estiverem disponíveis", acrescentou a polícia britânica.

Por seu turno, os paramédicos confirmaram à AFP que a causa da morte continua por apurar, destacando que a mesma está a ser investigada pela polícia.

Boris Berezovski, oligarca russo que encontrou refúgio político na Grã-Bretanha em 2001, faleceu hoje de manhã em Londres, anunciou o seu genro Iegor Chope.

Um dos seus advogados russos, Alexandre Dobrovinski, confirmou a notícia em declarações à agência Interfax. Dobrovinski recusou-se a pormenorizar onde foi encontrado o cadáver, mas admitiu que o oligarca se poderá ter suicidado devido a "graves problemas financeiros".

Segundo a agência Interfax, o cadáver terá sido encontrado na casa de banho da sua moradia em Londres.

O Kremlin confirmou a morte de Berezovski, sublinhando que, há alguns meses, o oligarca escreveu uma carta ao Presidente da Rússia, Vladimir Putin.

"Putin foi informado da morte de Berezovski. Ao mesmo tempo, deve-se dizer que, há algum tempo, talvez há um par de meses, Berezovski enviou a Putin uma carta pessoal, onde reconheceu que cometeu muitos erros, pediu a Putin perdão por esses erros e também pediu a Putin para poder regressar à pátria", declarou Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin.

Boris Berezovski foi um dos mais influentes oligarcas e políticos na Rússia nos anos 90 do século XX.

Entrou no mundo dos negócios durante o processo de liberação da economia realizado por Mikhail Gorbatchov, Presidente soviético, na segunda metade dos anos 80.

O oligarca foi um dos autores da falsificação do escrutínio eleitoral de 1996, que permitiu a reeleição de Boris Ieltsin como Presidente da Rússia.

Berezovski não se cansou de sublinhar que foi ele o homem que propôs a Ieltsin a candidatura de Vladimir Putin, para o substituir no Kremlin.

Porém, depois da eleição, Putin declarou "guerra aos oligarcas", levando à fuga de Berezovski para Londres, de onde continuava a sua política de oposição ao Kremlin.

Depois de condenado a pesadas penas de prisão na Rússia por "desvio de fundos" e "branqueamento de capitais", a Grã-Bretanha recusou sempre a sua extradição, considerando-o um refugiado político.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG