"Podemos chegar a um ponto de não retorno na Ucrânia"

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, alertou hoje para a possibilidade de o conflito na Ucrânia chegar a um ponto sem retorno, mas sublinhou acreditar na possibilidade de uma solução política para a crise.

"A situação é agora muito grave, dramática, podemos chegar a um ponto sem retorno se a escalada continuar", disse José Manuel Durão Barroso após uma reunião com o Presidente ucraniamo, Petro Poroshenko, que se encontra em Bruxelas.

Durão Barroso considerou ainda que "ainda não é demasiado tarde para encontrar uma solução política para a crise na Ucrânia.

A crise entre a Ucrânia e a Rússia é um dos temas na agenda do Conselho Europeu extraordinário que hoje reúne os líderes da União Europeia, em Bruxelas.

A cimeira foi convocada para se decidir a atribuição dos altos cargos europeus ainda em aberto, numa cimeira extraordinária, em Bruxelas, na qual também abordarão a crise ucraniana.

O Conselho Europeu de hoje, que assinala a "rentrée" política ao mais alto nível da UE, e no qual participará o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, tem lugar após a inconclusiva cimeira de final de julho, na qual os 28 não foram capazes de chegar a acordo sobre novas nomeações, designadamente sobre o sucessor da britânica Catherine Ashton como Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros.

A presidência do Conselho Europeu também está em cima da mesa, estando a saída do belga Herman Van Rompuy marcada para o fim do ano.

A 01 de agosto, o Governo anunciou que escolheu Carlos Moedas, secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, para integrar o próximo executivo comunitário, que será liderado pelo luxemburguês Jean-Claude Juncker, restando saber que pasta lhe será atribuída.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG