Papandreu receia aumento de nacionalismos na Europa

Georges Papandreu, presidente da Internacional Socialista e ex-primeiro-ministro grego, disse hoje à Lusa que se a Europa se desagregar corre-se o risco de "um conflito" e apelou à solidariedade entre os Estados.

"Neste momento, vivemos um momento de viragem na Europa. Estamos a fazer História e a História vai julgar-nos. Ou continuamos este projeto europeu, ou separamo-nos, e se nos separarmos é evidente que haverá um conflito", disse Papandreu quando questionado sobre os receios demonstrados recentemente por socialistas, como Mário Soares em Portugal, que alertam para os perigos de um conflito na Europa como consequência da crise económica e das políticas implantadas pelos governos.

Em entrevista à agência Lusa, Papandreu afirmou que se assiste a um crescimento da "retórica nacionalista", não apenas na Grécia, mas em toda a Europa e que extravasa o "discurso típico" da extrema-direita e conservador porque, acrescentou, está a verificar-se a existência de um "discurso nacionalista mais aberto, utilizado pelos políticos" e refletido nos órgãos de comunicação social, em todo o continente.

"Culpamo-nos uns aos outros com argumentos culturais e nacionalistas e preconceituosos e que são xenófobos e racistas. Não podemos construir a Europa com base nestes princípios e dizer 'tu és isto ou aquilo' ou dizer que 'os do norte são uma coisa e os do sul são preguiçosos'", referiu o ex-primeiro-ministro grego e antigo líder do PASOK (Partido Socialista da Grécia).

Para Papandreu, o "discurso" radicalizado na Europa está a generalizar-se e não é usado apenas pelos "conservadores" e, por isso, defendeu mais "solidariedade" e força na "diversidade".

"Desde o princípio diziam que a Grécia é o problema, mas o problema não é apenas a Grécia, caso contrário mais valia expulsar a Grécia. A Grécia tem problemas, mas o problema são as estruturas europeias e é neste ponto que temos de trabalhar - em conjunto - e não apenas por causa da crise europeia mas porque somos vizinhos e os vizinhos têm problemas", sublinhou Georges Papandreu.

O presidente da Internacional Socialista falava à Lusa à margem do Conselho desta organização, que reúne mais de 250 delegados de todo o mundo em Cascais desde segunda-feira.

Georges Papandreu, membro do PASOK, foi primeiro-ministro da Grécia entre outubro de 2009 e demitiu-se em novembro de 2011 dando lugar a um Governo de coligação em Atenas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG