Opositor ucraniano pede trégua até às 18:00

O opositor ucraniano Vitali Klitschko pediu hoje a forças de segurança e manifestantes concentrados na rua Grochevski, em Kiev, palco de violentos confrontos desde domingo, que observem uma trégua até às 18:00 TMG (mesma hora em Lisboa).

Klitschko fez este pedido para que seja possível esperar pelo resultado das negociações previstas com o poder ucraniano.

"Regressarei às 20:00 (locais) para vos dar a conhecer o resultado das negociações", declarou o antigo pugilista, citado pela agência noticiosa russa Interfax.

Klitschko falou também com os representantes da polícia que prometeram não lançar granadas de gás lacrimogeneo até à mesma hora, acrescentou.

Um fotógrado da agência noticiosa francesa AFP confirmou a presença de Klitschko no local e uma pausa nos confrontos entre manifestantes e polícia antimotim, após a declaração do opositor.

Vitali Klitschko, juntamente com outros líderes da oposição, está reunido desde as 13:00 locais (11:00 em Lisboa) com o presidente ucraniano, Viktor Ianukovich.

"As hipóteses não são grandes, mas existem", considerou o opositor antes do encontro, pedindo aos manifestantes que deixassem os bombeiros apagar o fogo da barricada, composta por pneus, em chamas desde quarta-feira à noite.

Mais calma que nos dias anteriores, a situação continuava hoje tensa nos locais da manifestação da oposição e antes da intervenção de Klitschko registaram-se trocas de 'cocktails molotov' dos manifestantes e granadas ensurdecedoras da polícia.

Uma primeira ronda de negociações, que durou três horas na quarta-feira, foi inconclusiva e, na altura, Klitschko advertiu que haveria "uma ofensiva" caso o poder não fizesse concessões.

A oposição exige a convocação de eleições antecipadas para pôr fim ao movimento de contestação, nascido há dois meses na sequência da recusa de Ianukovich de assinar um acordo de associação com a UE e da decisão do presidente de se voltar para Moscovo.

O movimento ganhou novo alento com a adoção, na semana passada, de leis que reforçam as sanções aplicáveis aos manifestantes. Desde domingo, o movimento da oposição ganhou contornos de guerrilha urbana.

Na quarta-feira, a polícia lançou vários assaltos contra os manifestantes e os confrontos resultaram em cinco mortos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG