Nove candidatos na corrida à liderança do PSOE

O prazo para apresentação das candidaturas ao cargo de secretário-geral do PSOE, que para já tem nove aspirantes, termina às 24:00 horas de hoje, 15 dias antes da consulta que será realizada à militância do partido.

A maioria dos candidatos, incluindo os dois favoritos Pedro Sánchez e Eduardo Madina, já apresentou as assinaturas necessárias para se candidatarem - um mínimo de 9.874 ou 5% dos cerca de 198 mil militantes do partido.

No caso de Pedro Sánchez o número de apoios poderá superar os 20 mil e no de Madina os 21 mil, segundo fontes do partido.

Por concluir a recolha de assinaturas está o representante da Esquerda Socialista, José Antonio Pérez Tapias, a quem faltam cerca de 1.500, segundo fontes da sua candidatura.

A lista de candidatos inclui ainda vários militantes sem cargo no partido, incluindo Alberto Sotillos, filho do porta-voz do Governo de Felipe González, Eduardo Sotillos, que até já iniciou a sua pré-campanha.

A proclamação oficial dos candidatos será no sábado e a campanha começa dia 2 de julho, com a consulta a 13 de julho para eleger o sucessor de Alfredo Pérez Rubalcaba, que na quinta-feira anunciou que deixará o seu lugar no Congresso de Deputados em setembro.

O voto da militância será ratificado no congresso federal extraordinário programado para 26 e 27 de julho em Madrid.

Em declarações hoje em Bruxelas, à chegada ao Conselho Europeu, o presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, expressou respeito e consideração por Alfredo Pérez Rubalcaba.

"O Partido Socialista perde um ativo muito importante e a política espanhola também. Rubalcaba tem sido durante muitos anos um político importante no nosso país, esteve no Governo de Espanha e desde logo tem o meu respeito e consideração", disse.

"Na última etapa, tenho que dizer que nos grandes temas de Estado, por exemplo nos temas europeus, sempre teve uma atuação muito positiva e construtiva com Espanha", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG