MNE confirmou morte de britânico por islamitas

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague, confirmou hoje a morte de um britânico por islamitas que fizeram reféns vários estrangeiros num ataque contra um campo de gás na Argélia na quarta-feira.

Tratou-se de um "assassinato a sangue frio", considerou Hague em declarações aos jornalistas em Sydney, onde está a cumprir uma visita diplomática.

A morte do britânico e de um argelino foram anunciadas na quarta-feira pelo ministro do Interior da Argélia, Dahou Ould Kablia.

O ataque contra um campo de gás explorado pela empresa estatal argelina Sonatrach com a empresa britânica British Petroleum e a norueguesa Statoil foi levado a cabo na quarta-feira em Tigantourine.

Segundo um porta-voz dos islamitas, citado por dois portais de informação da Mauritânia, 41 estrangeiros, entre os quais norte-americanos, franceses, britânicos e japoneses, foram sequestrados.

Este sequestro foi uma "reação ao facto de a Argélia ter autorizado a utilização do seu espaço aéreo pela aviação francesa para levar a cabo ataques contra o norte do Mali", afirmou o mesmo porta-voz.

Para Hague, esta explicação é apenas "uma desculpa", já que este tipo de operação terrorista leva tempo a ser preparada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG