Ministra próxima de Merkel demite-se após plágio

A chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou hoje a demissão de Annette Schavan, a sua ministra da Educação e amiga próxima, envolvida num escândalo após ter vindo a público que plagiou a sua tese de doutoramento.

"Annette Schavan apresentou-me a demissão e eu aceitei, com um peso no coração", afirmou Angela Merkel numa conferência de imprensa em Berlim. Schavan estava a ser criticada depois de lhe ter sido retirado o doutoramento, na universidade de Düsseldorf, por ter "sistematicamente e de forma deliberaba" copiado ao escrever a sua tese em Filosofia.

"A faculdade decidiu na terça-feira invalidar a minha tese, não vou aceitar a decisão e vou apresentar queixa", declarou Annette Schavan. Mas a ministra preferiu "evitar" as consequências deste procedimento judicial para o seu ministério, o governo federal ea CDU (o partido conservador de Merkel, que governa em Berlim coligado com os liberais do FDP). "Não é justo. A função não pode sair prejudicada", disse Schavan.

Nos últimos dias, oposição e imprensa exigiam a demissão da ministra.

Este é um caso embaraçoso para Merkel, a oito meses das legislativas alemãs. E mesmo se Schavan não era um membro central do Governo, foi vice-presidente da CDU até 2012.

Na Alemanha, o estatuto de doutor é muito respeitado e é mencionado sempre que se refere a identidade de uma pessoa. Por exemplo, Merkel é mencionada como "senhora doutora Angela Merkel".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG