Merkel pede fim de restrições a protestos na Ucrânia

Angela Merkel telefonou hoje ao Presidente ucraniano Viktor Ianukovitch para lhe pedir que volte atrás e retire as leis que restringem os direitos de manifestação dos cidadãos, anunciou a chancelaria alemã, citada pela AFP.

"A chanceler lançou um apelo pressionando o Presidente para que ele conduza um diálogo sério com a oposição e consiga resultados concretos, entre os quais que retire as leis que limitam os direitos dos cidadãos", refere o comunicado, sublinhando que a chanceler "exprimiu a sua emoção em relação aos recentes episódios de violência em Kiev e condenou-os de forma veemente". Segundo a mesma nota, a chanceler alemã insistiu na "responsabilidade do Estado em proteger a liberdade de expressão e as manifestações pacíficas".

Angela Merkel referia-se às leis que entraram esta quarta-feira em vigor e preveem penas de prisão entre os cinco e os 15 anos de cadeia para quem bloquear o acesso a edifícios governamentais, montar tendas ou palcos sem autorização prévia das autoridades ucranianas. Apesar destas limitações às manifestações, os ucranianos que apoiam a oposição pró-União Europeia não têm arredado pé da Praça da Independência, em Kiev, para protestar.

Os confrontos entre as forças policiais e os manifestantes tem sido uma constante, havendo registo de pelo menos cinco mortos na quarta-feira. O braço-de-ferro entre a oposição e o Presidente Ianukovitch, conhecido pró-russo, não da sinais de alívio desde que o chefe do Estado ucraniano decidiu não assinar um acordo de associação com a União Europeia, preferindo antes assinar um outro com a Rússia.

O ex-líder da União Soviética Mikhail Gorbachev pediu hoje aos presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e dos Estados Unidos, Barack Obama, para ajudarem a lançar conversações entre poder e oposição na Ucrânia, onde desde domingo violentos confrontos opõem polícia e manifestantes.

Enquanto isso, e na aproximação de mais uma cimeira UE-Rússia, agendada para o próximo dia 28, terça-feira, foi anunciado que a a chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, desloca-se na próxima semana a Kiev com o objetivo de facilitar o "diálogo" para uma "solução política" para a crise que abala a Ucrânia, foi hoje divulgado. A Alta Representante da União Europeia (UE) para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança irá encontrar-se com o Presidente Viktor Ianoukovich, e responsáveis da oposição ucraniana, indicou um comunicado hoje divulgado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG