Merkel diz que EUA e União Europeia perseguem os "mesmos objetivos" na Ucrânia

A chanceler alemã, Ângela Merkel, insistiu hoje que os Estados Unidos e a União Europeia perseguem os "mesmos objetivos" na Ucrânia, apesar da recente posição controversa de uma alta diplomata dos Estados Unidos.

Após a convenção do seu partido, que acordou o programa para as eleições europeias, Merkel disse numa conferência de imprensa em Erfurt (Centro da Alemanha) que os Estados Unidos e a União Europeia defendem que na Ucrânia se avance de "forma pacífica" para "uma maior democracia".

A líder do Governo alemão disse ainda que a União Europeia (UE) "não pode excluir [nas negociações sobre a Ucrânia] um aliado como os Estados Unidos" e evitou valorizar as "palavras obscenas" que a adjunta dos Estados Unidos para os Assuntos Europeus, Vitória Nuland, disse numa conversa privada realizada através da Internet.

As declarações de Merkel visaram por fim a uma discussão em que Nuland se mostrou a favor de resolver apenas com as Nações Unidas a crise na Ucrânia, deixando de lado a União Europeia.

O vice-porta-voz do Governo alemão, Christiane Wirtz, disse na sexta-feira que o comentário da responsável norte-americana era "totalmente inaceitável".

Para a chanceler alemã, se a União Europeia e os Estados Unidos têm divergências terão que "falar abertamente".

No discurso que realizou hoje Merkel preferiu centrar-se na necessidade de encontrar uma "solução pacífica" para a crise ucraniana e assegurou que a Alemanha e a UE estão a trabalhar nesta direção e com todas as partes envolvidas, tanto com a oposição pró-europeia como com o presidente da ucrânia, Víktor Yanukóvich.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG