Melilla retira a última estátua de Franco

Mais de 34 anos após a sua morte, o ex-ditador espanhol vai deixar de estar representado em espaços públicos

A última estátua do general Franco em vai ser retirada em breve da cidade autónoma de Melilla, um dos dois enclaves espanhóis no Norte de África.

O governo regional indicou no início de Março que a estátua de bronze iria ser removida no espaço de um mês, segundo os media espanhóis.

Assim, 34 anos após a sua morte, o generalíssimo Francisco Franco, que venceu a Guerra Civil dos anos 30 e governou em ditadura até 1975, vai agora ficar sem representação nos espaços públicos de Espanha. A estátua vai depois ser transferida para o museu militar, disse o porta-voz do governo de Melilla Daniel Conesa. O que aliás tem acontecido com muitas das outras que têm vindo a ser recolhidas em toda a Espanha.

A última estátua equestre de Franco tinha sido retirada no dia 18 de Dezembro do ano passado, da praça municipal de Santander em Cantábria. E sem ser com o general a cavalo, a única estátua que faltava retirar é esta que está em Meilla.

Está, desta forma, a cumprir-se a chamada lei da memória histórica, aprovada em 2007, por proposta do Governo socialista de Zapatero.

A lei pretende restaurar a memória das vítimas da Guerra Civil e dos anos da ditadura franquista e prevê a retirada dos símbolos franquistas de espaços públicos – entre outras coisas. A sua aprovação não esteve a salvo de polémica, com o Partido Popular, liderado por Mariano Rajoy, a criticar a inutilidade de reabrir na sociedade espanhola feridas que são do passado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG