Manifestantes vão recorrer da ação de despejo aprovada pelo tribunal

O grupo de manifestantes que participam no acampamento de protesto anti-capitalista junto à Catedral de São Paulo em Londres vão recorrer da decisão judicial favorável a uma ação de despejo, anunciou o advogado de defesa.

John Cooper confirmou à saída do Tribunal Superior de Londres que o recurso seria apresentado na quinta-feira e saudou a "integridade" dos clientes.

O advogado questionou ainda o papel da igreja, que "recusou fazer parte do processo mas muitas das provas foram providenciadas pela Catedral".

O juiz Keith Lindblom decidiu hoje a favor de uma ordem de despejo pedida pelas autoridades da City de Londres contra o acampamento que dura há mais de três meses.

O magistrado enumerou a "extensão duração da obstrução da via pública e a perturbação pública inerente a essa obstrução" e "o efeito nas visitas à catedral".

O presidente da Corporação da City de Londres, Stuart Fraser, manifestou o desejo de que os manifestantes removam as tendas voluntariamente.

"Protestos legais são algo normal na vida da City mas tendas, equipamento e a crescente confusão e perturbação não são destinadas a uma via pública e prejudica a população em geral", argumentou.

A ocupação do local iniciou-se a 15 de outubro, inspirada num movimento global, tendo desde então crescido para mais três locais na capital britânica e vários noutras cidades do Reino Unido.

Dezenas de tendas continuam junto à Catedral de São Paulo, um ponto de referência para os turistas e fiéis da igreja anglicana, sendo o acampamento frequentado por centenas de pessoas diariamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG