Mais de 300 queixas de abusos sexuais contra padres

A Igreja Católica da Bélgica comunicou hoje ter recebido em 2012 mais de três centenas de queixas de abusos sexuais de menores cometidos por padres.

Três quartos dos 307 processos abertos na sequência daquelas denúncias dizem respeito à região da Flandres, zona flamenga e predominantemente católica, situada no norte da Bélgica.

Dos processos abertos, 46 foram reencaminhados para processos de mediação, no ano passado.

Três quartos dos queixosos são homens e na grande maioria já são adultos, tendo feito as denúncias apenas quando começaram a ser conhecidos casos semelhantes, reclamando agora uma compensação da Igreja.

Na Bélgica, tudo começou em abril de 2010, quando se soube que o bispo de Bruges, Roger Vangheluwe, tinha abusado de um sobrinho de 13 anos. O bispo decidiu retirar-se da Igreja, abrindo uma caixa de Pandora de denúncias.

Um dos relatórios redigido entretanto revelou quase 500 casos de abusos em instituições católicas desde a década de 1950.

Em setembro de 2011, cerca de 70 alegadas vítimas juntaram-se numa acusação legal conjunta contra a Igreja Católica belga e a Santa Sé, a primeira queixa apresentada na Europa envolvendo diretamente o Vaticano.

O escândalo de abusos sexuais de menores por padres católicos estendeu-se a outros países, como Estados Unidos, Irlanda, Alemanha e Áustria.

Exclusivos