Kiev acusa Moscovo de "invasão direta"

O chefe dos serviços de informações da Ucrânia acusou hoje a Rússia de "invasão direta", depois de Moscovo ter mandado avançar para território ucraniano uma controversa coluna humanitária com destino ao bastião separatista pró-russo de Lugansk.

"Dizemos que isto é uma invasão direta. Sob o símbolo cínico da cruz vermelha, estes são veículos militares", disse Valentyn Nalyvayshenko, chefe dos serviços de informações ucranianos SBU, citado pela agência Interfax Ucrânia.

Um outro responsável da segurança ucraniana disse por seu lado que Moscovo é "o único responsável" pela segurança da coluna, que atravessa território controlado pelos separatistas.

Vários camiões de ajuda humanitária russa passaram hoje a fronteira ucraniana, no leste do país, pouco depois de Moscovo ter anunciado que não ia esperar mais para enviar ajuda para as zonas em dificuldade,

Os camiões estavam estacionados há mais de uma semana no lado russo da fronteira, a aguardar "luz verde" para avançarem.

O governo ucraniano tinha posto como condição para a entrada da coluna humanitária que ela fosse acompanhada pelo Comité Internacional da Cruz Vermelha em território ucraniano, com um delegado da organização em cada camião, mas a organização anunciou entretanto que não está a acompanhar a coluna por não lhe terem sido dadas "garantias de segurança suficientes".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG