Julian Assange pede para ser repatriado

Nas vésperas de se apresentar na justiça britânica para responder por violência sexual sobre duas mulheres, o fundador do WikiLeaks pediu à primeira-ministra australiana para o repatriar.

Assange, que está sob liberdade condicional em Inglaterra, será ouvido na segunda-feira em tribunal. Perseguido pela justiça sueca por violência sexual sobre duas mulheres em Agosto passado, o fundador do WikiLeaks diz-se vítima de uma manobra política das autoridades suecas devido à divulgação de documentos secretos no âmbito do site Wikileaks.

Num vídeo difundido pela edição online do Sydney Mornig Herald, Assange pede à primeira-ministra que o apoie. "Tem havido apelos escandalosos e elegais contra mim e a minha equipa, casos evidentes de incitamento à violência. Mas o governo australiano tem tolerado esse comportamento através do seu silêncio", acusa. "Julia Gillard deverá adoptar medidas para o meu repatriamento e para nos proteger. Deve contactar a embaixada dos Estados Unidos para lhes dizer para parar", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG