Itália adopta novo plano de austeridade na quinta-feira

O governo italiano anunciou hoje que vai adoptar um novo plano de austeridade para alcançar a estabilidade orçamental em 2014, bem como uma reforma fiscal, numa altura em que o país está sob vigilância dos mercados.

"O Conselho de Ministros adoptará na quinta-feira (...) um decreto-lei sobre as finanças públicas (...) e paralelamente, um projepto de lei sobre a reforma fiscal", indicou a presidência do Conselho num comunicado. O plano de austeridade "será plurianual em linha com o objectivo de atingir a estabilidade económica em 2014", acrescentou o governo. O decreto-lei incluirá medidas com "impacto positivo no crescimento económico".

O montante das medidas de austeridade deve ascender a cerca de 40 mil milhões de euros, a fim de respeitar os compromissos assumidos com Bruxelas que apontam para a quase estabilidade (défice de 0,2 por cento do PIB) em 2014. Entre as medidas contam-se o aumento da idade da reforma das mulheres no sector privado, congelamento dos salários da função pública, redução das despesas do Estado e diminuição das despesas de saúde.

A dívida pública de Itália é uma das mais elevadas do mundo (cerca de 120 por cento do PIB) e está actualmente sob vigilância dos mercados, apesar do país ter sido poupado até agora devido a um défice público que é inferior ao de muitos países europeus. A agência de 'rating' Moody's ameaçou hoje baixar a classificação a seis bancos italianos, mas o primeiro-ministro desvalorizou a situação dizendo que "não está preocupado" porque "a banca italiana é sólida e bem capitalizada".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG