Irmão de Gerry Adams condenado por violar a filha

Liam Adams, irmão mais novo do líder do Sinn Féin, Gerry Adams, foi condenado a 16 anos de prisão por ter violado a própria filha entre 1977 e 1981. Aine Dahlstrom tinha apenas quatro anos de idade quando os abusos começaram, segundo o juiz, que foi citado pela agência noticiosa AFP.

Liam Adams, de 58 anos de idade, foi, segundo o juiz responsável pelo caso, declarado culpado da "pior traição possível". Alvo de um mandado de captura europeu, o irmão do líder histórico republicano entregou-se em 2010, tendo sido extraditado para a Irlanda do Norte.

Numa reação à sentença, a sobrinha de Gerry Adams aplaudiu, mas de acordo com o jornal irlandês 'Independent' sublinhou que considera pequena a pena de prisão que agora viu ser aplicada ao seu pai.

Apesar de, como nota a AFP, Gerry Adams ter sido ilibado pela polícia das acusações de que sabia dos abusos e encobriu o irmão, o caso ultrapassou as fronteiras de um assunto estritamente familiar para se tornar político.

Hoje, citado pelo mesmo jornal irlandês, Michael Martin, líder do Fianna Fáil (maior partido da oposição na República da Irlanda) sugeriu que o Sinn Féin e o IRA terão encoberto uma série de casos de abuso sexual. "Pode ter sido uma prática comum no movimento republicano", declarou, suscitando uma reação da número dois do Sinn Féin, Mary-Lou MacDonald, que classificou como "infelizes e falsas" as afirmações de Martin.

O Sinn Féin, que defende a unificação da ilha da Irlanda, está representado tanto no Parlamento da República da Irlanda (país membro da Zona Euro) como no parlamento autónomo da Irlanda do Norte (que ficou como província pertencente ao Reino Unido depois de uma guerra sangrenta de vários anos entre o IRA, os setores unionistas e as forças britânicas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG