Irlanda do Norte vive segunda noite de confrontos

A polícia de Belfast foi atacada com bombas de gasolina na segunda noite de confrontos com protestantes que se seguiram à marcha dos orangistas na capital da Irlanda do Norte.

Os protestantes atiraram esta noite tijolos, garrafas e até móveis contra a polícia, que respondeu com canhões de água, mas os confrontos não foram tão intensos como na noite de sexta-feira, quando 32 polícias ficaram feridos, a par de um deputado protestante.

Mais de 600 agentes foram enviados da Grã-Bretanha para a Irlanda do Norte antes da marcha dos orangistas, na sexta-feira, e outros 400 foram enviados no sábado depois dos primeiros confrontos que surgiram por as autoridades locais terem impedido os protestantes de atravessarem o bairro católico de Ardoyne, no norte de Belfast.

A parada de 12 de julho costuma ser marcada por confrontos. Este dia feriado na Irlanda do Norte marca o aniversário da vitória do rei protestante William III na batalha de Boyne, em 1690, sobre o rei católico deposto James II.

A Irlanda do Norte, uma província britânica, viveu 30 anos de violência sectária, que causou 3.500 mortos antes da assinatura dos acordos de paz em 1998, que levou à partilha do poder entre protestantes e católicos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG