Rei Felipe VI escolhe uma equipa só de homens

A Casa Real espanhola revelou a identidade das pessoas que irão trabalhar mais de perto com o novo Rei Felipe VI de Espanha. Serão seis pessoas e entre eles não há uma única mulher.

"Guiei-me pelos bons perfis; não tive em conta se eram homens ou mulheres. O importante é a preparação", argumentou ontem o Rei de Espanha. Uma das primeiras acções de Felipe VI foi criar um secretariado de apoio às funções da Casa Real, que será delegado a seus pais, D. Juan Carlos e Dona Sofia.

A fim de garantir a transparência durante o seu reinado, Felipe VI dedicou-se a fazer algumas mudanças na estrutura organizacional da Casa Real. O Secretariado de Sua Majestade D. Juan Carlos será dirigido por Alfonso Sanz Portóles, que também exercerá como conselheiro diplomático do Rei de Espanha, tendo sido anteriormente secretário-geral da Casa Real.

Para cumprir a promessa de redução dos custos da Casa Real, o Rei de Espanha decidiu eliminar alguns Secretariados, como o da Princesa das Astúrias e do Príncipe das Astúrias. No cargo de Chefe da Casa Real estará Jaime Alfonsín, enquanto o posto de Secretário-Geral da Casa Real cairá nas mãos de Domingo Martínez Palomo. Outras alterações relevantes são a substituição de Arturo Luis Coello Villanueva por José Manuel Zuleta y Alejandro, na função de Secretário da Rainha.

Emilio Tomé de la Vega ocupará o posto de Chefe do Gabinete de Planeamento e Coordenação, tendo sido o primeiro assessor militar de Felipe VI e que até agora trabalhava para o Secretariado do Príncipe das Astúrias. Estas alterações irão decorrer ao longo desta semana, mantendo por enquanto os cargos atuais de Chefe de Segurança, Chefe de Protocolo e de Administração, Infra-estrutura e Serviços.