Rainha Sofia diz que mudança "não é problema"

A rainha Sofia de Espanha afirmou hoje que "tudo permanecerá igual" após a abdicação do seu marido, o rei Juan Carlos I, e que Letizia, a futura rainha, "é competente e encantadora".

"Não existe nenhum problema na mudança", disse a rainha de Espanha, em declarações a um grupo de jornalistas durante uma visita à sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Questionada como se sentia após o anúncio do rei Juan Carlos I, realizado na segunda-feira, Sofia afirmou estar tranquila e igual.

"A mudança vai ser completamente tranquila e a continuidade será assegurada com o príncipe (...) com o meu filho [Felipe, príncipe das Astúrias], que está ciente de tudo", referiu.

Estas são as primeiras declarações da rainha espanhola após a abdicação do rei Juan Carlos I.

Os jornalistas questionaram ainda Sofia sobre a princesa Letizia e as recomendações que dará à mulher do futuro rei: "Que continue igual. É competente e encantadora e gosto muito dela", respondeu a monarca.

A rainha Sofia visitou hoje a sede da ONU, onde se reuniu com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e proferiu um discurso no conselho executivo da UNICEF (Fundo Internacional de Emergência para a Infância das Nações Unidas).

O rei de Espanha, Juan Carlos de Borbón y Borbón, de 76 anos, anunciou segunda-feira a sua vontade de entregar a coroa ao filho, Felipe, depois de um reinado de 39 anos, um dos mais longos da história, para dar a vez a uma nova geração "que reclama um papel de protagonismo".

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.