Pró-russos controlam mais de uma dezena de cidades

Os ativistas pro-Rússia mantêm-se em mais de uma dezena de cidades na região oriental da Ucrânia, onde a maior parte dos edifícios governamentais se encontra ocupada desde o princípio do mês.

Donetsk é o epicentro da atividade rebelde, palco de sequestros e atos de violência que conheceram um dos momentos mais tensos no dia 12 de abril quando grupos armados cercaram o edifício da polícia, tendo no mesmo dia invadido o edifício da câmara municipal e dos serviços de segurança.

A cidade de Donetsk tem cerca de um milhão de habitantes e funciona como uma plataforma para todas as povoações e pequenas cidades da região, incluindo Slavyansk, o coração da chamada "República de Donetsk" onde os edifícios governamentais foram cercados no início do mês.

Slavyansk tem 465 mil habitantes e é o centro da região de Lugansk, onde mais de mil manifestantes pró-Moscovo ocuparam a sede local dos serviços de segurança.

No dia 29 de abril, em Slavyansk, centenas de pessoas ocuparam também os edifícios administrativos e logo depois as instalações regionais da polícia.

Gorlivka (cidade que também é conhecida como Horlika), com uma população de 260 mil pessoas, viu o quartel da polícia cercado no dia 14 de abril pelos grupos que apoiam Moscovo, que ocuparam também os edifícios administrativos das forças de segurança e a câmara municipal.

Makiivka, cidade localizada perto de Donetsk, tem 360 mil habitantes e as instalações autárquicas foram ocupadas no dia 13 de abril.

Artemivsk, com uma população de 78 mil pessoas, teve a câmara municipal ocupada por ativistas no dia 12 de abril.

Yenakieve é uma cidade de 85 mil pessoas onde a polícia e a procuradoria foram ocupados no dia 13 de abril.

Nas cidades de pequena dimensão de Khartsysk, Zhdanivka, Kirovske, Torez, Kostyantynivka e Pervomaisk, os edifícios municipais foram cercados e ocupados em meados do mês de abril.

Na cidade de Mariupol (480 mil habitantes), junto ao Mar Negro, verificou-se uma rara vitória das forças de segurança da Ucrânia, que conseguiram desalojar a maior parte dos ativistas pró-Moscovo que tinham ocupado o edifício da câmara municipal.

PSP // APN

Ler mais

Exclusivos