Pesadelo de Florence Cassez chegou ao fim

A francesa Florence Cassez partiu do México na quarta-feira às 21:25 locais (03:25 de quinta-feira em Lisboa) em direção ao aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, após decisão do Supremo Tribunal mexicano, que ordenou a sua libertação imediata. A francesa aterrou em Paris esta quinta feira às 14:15 (13:15 de Lisboa).

A francesa, nascida em Lille, deixou a prisão de mulheres do Tepepan, no Sul do México, ao final da tarde de ontem, seguindo para o aeroporto num veículo branco escoltado por viaturas da polícia. Vestindo um colete à prova de balas, Florence fez-se acompanhar do seu pai, Bernard Cassez e do Cônsul da França no México, Gérald Martin.

O Supremo Tribunal do México pôs assim fim a um pesadelo que durou mais de sete anos. Florence foi acusada de pertencer ao gang de raptores Los Zodiacos e foi condenada a 60 anos de prisão por crimes de rapto, crime organizado e posse ilegal de armas de fogo. A sentença e uma possível extradição para o seu país criaram tensões diplomáticas entre a França e o México.

Três dos cinco juízes do tribunal mexicano consideraram que houve uma violação dos direitos constitucionais da francesa de 38 anos pelas autoridades, quando esta foi detida em dezembro de 2005. "O julgamento é anulado, o recurso é permitido e a libertação imediata de Florence Cassez é ordenada", indicou a resolução do Supremo Tribunal, citada pela AFP.

As reações à libertação de Florence foram imediatas, com a sua mãe a dizer que a filha "ganhou a liberdade". Já o advogado mexicano da francesa, Agustin Acosta, disse que era "uma dia brilhante para a justiça mexicana". "Este é um dia histórico para o Supremo Tribunal, porque conseguiu estabelecer que as violações graves dos direitos humanos não serão toleradas como um mecanismo para estabelecer a culpa do povo", acrescentou.

Para a francesa, que estava presa desde 8 de dezembro de 2005, a liberdade só foi conseguida à quinta tentativa, depois de três condenações em tribunais ordinários em 2008, 2009 e 2011 e a indecisão do Supremo Tribunal Federal em 2012.

O Presidente francês, François Hollande, "saudou" a decisão do Supremo Tribunal mexicano, falando no final de um "período particularmente doloroso". Em comunicado, o chefe do Estado agradeceu a "todos aqueles que, tanto no México como no país estão comprometidos em que a justiça e a verdade prevaleçam". Também Nicolas Sarkozy, ex-Presidente francês, disse estar "muito emocionado e muito feliz", com o anuncio da libertação de Florence, com quem terá falado por telefone.

O caso de Florence provocou uma crise diplomática entre a França e o México, especialmente no ano de 2011, levando mesmo o México a cancelar o ano da França no México, depois de Sarkozy ter dedicado o evento à francesa.

Exclusivos