Monti defende orçamento comunitário "justo" para todos

O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, defendeu hoje, em Bruxelas, que o próximo orçamento da União Europeia (UE) deve ter em conta o crescimento e a equidade, e ser "justo" para todos os Estados-membros.

"Esperamos alcançar um acordo que deve ter duas caraterísticas fundamentais segundo o Governo italiano", afirmou Mario Monti, acrescentando que o orçamento comunitário para 2014-2020 deve ser dedicado ao "crescimento".

O primeiro-ministro italiano falava à chegada à cimeira europeia, que decorre hoje e sexta-feira, em Bruxelas, e que é destinada a discutir o Quadro Financeiro Plurianual da UE.

Monti defendeu que o próximo orçamento comunitário deve ser "justo" no que respeita à distribuição das verbas pelos Estados-membros e defendeu que "crescimento e igualdade são dois elementos mais do que cruciais para o progresso da Europa".

A cimeira de hoje e sexta-feira será a segunda tentativa para chegar a um acordo sobre o orçamento comunitário, depois de, em novembro, as negociações terem falhado.

Na altura, o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, propôs um orçamento de 973 mil milhões de euros, o que representava um corte de cerca de 80 mil milhões de euros em relação à proposta da Comissão Europeia.

Hoje, Herman Van Rompuy deverá apresentar aos líderes dos 27, entre os quais o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, uma nova proposta, que contempla verbas destinadas a combater o desemprego jovem.

O início da cimeira está previsto para as 17:30 locais (16:30 de Lisboa).

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.