Manifestantes compram publicidade no New York Times

Sob o título "O que está a acontecer na Turquia?", o movimento de contestação turca publicou hoje uma página inteira de publicidade no jornal New York Times, depois de ter recolhido na internet mais de 100 mil dólares em cinco dias.

"A população turca falou, não seremos oprimidos", afirma a publicidade, cujo título desaparece parcialmente por trás do fumo de gás lacrimogéneo.

"Nos dez anos no poder do primeiro-ministro Erdogan, assistimos à erosão constante dos nossos direitos cívicos e das nossas liberdades. A prisão de numerosos jornalistas, artistas e eleitos, e as restrições da liberdade de expressão, os direitos das mulheres e das minorias, mostram que o partido do poder não leva a democracia a sério", acrescentam os autores do texto, que se dizem solidários com os "cidadãos normais que protestam" na Turquia.

Eles exigem o "fim da violência policial, uma imprensa livre, um diálogo democrático aberto entre os cidadãos e os eleitos para cargos públicos e uma investigação aos recentes abusos de poder do Governo que levaram à morte de inocentes".

A publicidade, assinada pelo Movimento Democracia de Gezy, foi paga graças a uma recolha de fundos na internet lançada a 3 de junho e que recolheu em cinco dias 102 mil dólares, o dobro do que pretendiam.

Segundo a Forbes, esta foi a campanha política de recolha de fundos mais rápida do site Indiegogo.

Mais de 2500 pessoas contribuíram, avançaram os organizadores à AFP, a maioria com doações até 50 dólares.

Exclusivos