Infantas sairão da família real espanhola

As filhas de Juan Carlos, as infantas Cristina e Elena, deixarão de pertencer à família real quando o irmão for proclamado Felipe VI Rei de Espanha. As irmãs de Felipe, escreveu o jornal espanhol 'El Mundo' passarão a ter o mesmo estatuto que as irmãs do Rei Juan Carlos, Pilar e Margarida.

Estas não terão cargos oficiais e a Casa Real já não lhes disponibilizará financiamento para gastos em representação. Cristina, por ver o seu marido, Iñaki Urdangarin, constantemente ligado a casos judiciais por desvio de dinheiro, já não recebia esse financiamento há algum tempo. Elena, diretora dos projetos culturais e sociais da Fundação Mapfre, assim que vir todos os seus compromissos concluídos, perderá também esse apoio.

Depois da proclamação do novo rei, a família real passará ser constituída por Juan Carlos e Sofia, Felipe VI, a sua mulher, Letizia, e as suas filhas, as infantas Leonor e Sofia. A infanta Leonor, a primogénita de Felipe e Letizia, de oito anos, passará a ser Princesa das Astúrias, de Girona e de Viana.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.