Governo italiano aprova novo pacote de austeridade

O Governo italiano convocou um Conselho de Ministros extraordinário para as 18.00 da tarde (17.00 em Lisboa), para acelerar a adopção no Parlamento do novo plano de austeridade, que poderá ser novamente alterado, foi hoje divulgado.

"O Conselho de Ministros foi convocado pelo Palácio Chigi (sede da presidência do Conselho) para as 18:00 locais, menos uma hora em Lisboa, para autorizar o voto de confiança "sobre o plano de austeridade que está a ser avaliado pelos senadores desde o início da tarde ", indicou a presidência do Conselho em comunicado, citado pela Agência France Presse. A adopção definitiva deste plano estava inicialmente prevista para meados de Setembro.

Desde o início da tarde que os líderes da coligação maioritária estão reunidos com o chefe do Governo italiano, Sílvio Berlusconi, e com o ministro das Finanças de Itália, Giulio Tremonti, num hotel em Roma para discutir eventuais novas alterações ao plano de austeridade, segundo fonte governamental citada pela AFP. O Presidente da República, Giulio Tremonti, instou na segunda-feira à noite o Governo italiano para reforçar "a eficácia e a credibilidade" do seu plano face à crise de confiança nos mercados financeiros. Em cima da mesa estão, segundo a imprensa, eventuais aumentos de impostos, uma nova intervenção nas reformas e a aplicação de uma taxa sobre os mais ricos, além das medidas tomadas previamente.

O novo plano de austeridade italiano de 45,5 mil milhões de euros, anunciado a 12 de Agosto após a adopção de um primeiro plano de 48 mil milhões em Julho, deverá permitir ao país alcançar o equilíbrio orçamental em 2013 e não, em 2014, reduzindo a dívida (actualmente equivalente a 120 por cento do Produto Interno Bruto). O recuo do Executivo na semana passada, que afastou a aplicação de uma taxa sobre os mais ricos, reduziu o esforço exigido ao país, colocando em causa a credibilidade do plano de austeridade.

Ler mais

Exclusivos