Francês de origem portuguesa raptado no Mali está vivo

O francês de origem portuguesa raptado na terça-feira no Mali está vivo, disse hoje o chefe da diplomacia francesa, Laurent Fabius, precisando que a reivindicação do sequestro por um grupo radical islâmico ainda está a ser verificada.

"Tivemos informações das autoridades malianas e pelo que sabemos, sim" o refém está vivo, respondeu o ministro dos Negócios Estrangeiros francês quando questionado pelos jornalistas. Gilberto Rodriguez Leal, um francês de origem portuguesa, de 61 anos, foi raptado na terça-feira cerca das 22 horas na região de Kayes, oeste do Mali. O francês, cuja profissão se desconhece, tinha chegado ao Mali há poucas horas, proveniente da Mauritânia, quando foi retirado de dentro do carro de matrícula francesa no qual seguia. Segundo fontes dos serviços de segurança do Mali, o francês terá sido retirado do carro "por pelo menos seis homens armados" em Diema, enquanto as autoridades francesas sustentam que o sequestro aconteceu em Nioro, cidade situada mais a norte. "Houve uma reivindicação que ainda não foi possível verificar. Terá sido raptado por um grupo de radicais islâmicos do Norte", disse Fabius. "Não sabemos exatamente as condições em que isso aconteceu. Não sabemos se o grupo o raptou para o vender a outro grupo, ou se são mesmo pessoas do Norte", acrescentou. Um responsável do Movimento para a Unidade e a Jihad no Oeste Africano, um dos grupos armados que ocupa o norte do Mali, citado pela agência France Presse, indicou na quarta-feira que o refém estava em seu poder, sem precisar se estava com o seu grupo ou com os seus aliados da Al-Qaida do Magreb Islâmico (Aqmi). Laurent Fabius reforçou o apelo aos cidadãos franceses para não se deslocarem para aquela região do Mali, considerando ser "extremamente imprudente". Este novo rapto eleva para sete o número de franceses reféns dos islamitas armados da região do Sahel, seis dos quais foram raptados pela Aqmi: quatro no norte do Níger, em setembro de 2010, e dois no norte do Mali, em novembro de 2011. Questionado sobre se está previsto para breve o envio de uma força internacional para recuperar o norte do Mali, Laurent Fabius defendeu que primeiro é preciso "reconstituir as formas malianas" e garantir que "os vizinhos fornecem os elementos". "É um assunto que diz respeito primeiro aos africanos", disse, precisando que as Nações Unidas deverão "dar luz verde no início de dezembro".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...