Fenómeno dos pássaros mortos chega à Europa

Autoridades suecas encontraram entre 50 e 100 pássaros mortos na noite de hoje perto de Gotemburgo, Suécia, num caso semelhante a duas "chuvas" de pássaros ocorridas nos últimos dias nos EUA.

As aves, uma espécie da família dos corvos, estavam caídas sobre uma estrada junto a Falköping (sudoeste da Suécia) ao longo de dezenas de metros. O porta-voz dos serviços locais de protecção civil, Christer Olofsson, disse à agência noticiosa francesa AFP que ainda não havia explicação para as mortes, e que será feita uma autópsia aos animais.

Nos estados norte-americanos do Arkansas e da Louisiana, milhares de aves caíram mortas do céu no sábado e na segunda-feira.

Entre as potenciais explicações avançadas nos EUA para explicar estes fenómenos estão o efeito de fogos de artifício ou colisões contra cabos de alta tensão.

O director da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), Luís Costa, disse hoje à agência Lusa que mantém contactos com colegas norte-americanos, "à espera de mais informações".

Luís Costa disse que ambas as explicações avançadas nos Estados Unidos são hipóteses plausíveis, acrescentando que outras possibilidades incluem os efeitos de "diferenças de pressão súbitas", outros factores meteorológicos, ou intoxicações e contaminações.

As mortes abruptas de grandes bandos de pássaros não são invulgares. Segundo dados oficiais do Serviço Nacional de Geologia norte-americano citados pela agência Associated Press, só nos EUA houve 90 casos semelhantes no segundo semestre de 2010, cinco dos quais envolveram pelo menos mil aves.

"O que não é comum é não se saber as causas", disse Luís Costa sobre os incidentes nos EUA.

Exclusivos