Estabilidade europeia ameaçada por sentimento anti-russo

A estabilidade da Europa é ameaçada pelo aumento dos sentimentos anti-russos relacionado com a crise na Ucrânia, alertou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov.

"Atualmente, a incitação a sentimentos anti-russos num contexto de aumento do racismo e da xenofobia em numerosos países da União Europeia, o crescimento do número de grupos ultranacionalistas e da complacência em relação ao neonazismo, na Ucrânia e noutros lugares, ameaçam de modo evidente a estabilidade europeia", declarou Lavrov, citado pela agência Ria Novosti.

A situação na Ucrânia desencadeou a pior crise Leste-Oeste desde o final da "guerra fria".

Na quinta-feira, o Presidente russo, Vladimir Putin, avisou os europeus para a necessidade de garantirem o pagamento dos milhares de milhões da dívida da Ucrânia, caso contrário o seu abastecimento de gás ficará em risco.

O seu homólogo norte-americano, Barack Obama, retorquiu logo depois que uma escalada da situação na Ucrânia levará a novas sanções norte-americanas e europeias contra Moscovo.

Hoje, no entanto, Lavrov saudou a realização de discussões a quatro -- Estados Unidos, Rússia, Ucrânia, União Europeia -- previstas para a próxima semana, em Viena ou Genebra, segundo as fontes.

"Congratulamo-nos com as recentes alterações na posição da UE e com os apelos a uma concertação entre a Rússia e a UE e os países parceiros", sublinhou.

O chefe da diplomacia russa voltou a apelar às autoridades pró-europeias de Kiev para realizarem "reformas reais" para saírem da crise.

PAL // VM

Exclusivos