Afluência de 66% apesar do boicote da oposição

A Comissão Eleitoral Central (CEC) da Bielorrússia anunciou hoje que 66 por cento dos eleitores inscritos votaram nas legislativas de hoje apesar do boicote da maioria da oposição, noticiou a agência EFE.

O despacho da EFE que cita a presidente da CEC, Lidya Yermoshina, em conferência de imprensa, adianta que a participação "superou as expectativas" e que os resultados preliminares serão anunciados ainda hoje à noite.

As 6.305 assembleias de voto encerraram às 20:00 locais (18:00 em Lisboa) e um total de 293 candidatos concorreram aos 110 lugares da câmara de deputados do parlamento.

Apenas três grupos da oposição participaram nas eleições, com 26 candidatos.

Cinco partidos da oposição já afirmaram que não reconhecerão os resultados destas eleições que decorreram, afirmaram, nas condições impostas pelo Presidente, Alexander Lukashenko, no poder desde 1994.

A oposição considerou inflacionados os dados relativos à afluência às urnas, adiantando que não tem sentido votar depois do que se verificou nas presidenciais de 2010, quando centenas de opositores foram detidos e vários candidatos presidenciais encarcerados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Falem do futuro

O euro, o Erasmus, a paz. De cada vez que alguém quer defender a importância da Europa, aparece esta trilogia. Poder atravessar a fronteira sem trocar de moeda, ter a oportunidade de passar seis meses a estudar no estrangeiro (há muito que já não é só na União Europeia) e - para os que ainda se lembram de que houve guerras - a memória de que vivemos o mais longo período sem conflitos no continente europeu. Normalmente dizem isto e esperam que seja suficiente para que a plateia reconheça a maravilha da construção europeia e, caso não esteja já convertida, se renda ao projeto europeu. Se estes argumentos não chegam, conforme o país, invocam os fundos europeus e as autoestradas, a expansão do mercado interno ou a democracia. E pronto, já está.