'Indignados' convocam "debate sobre a corrupção"

A Coordenadora 25S - responsável por vários protestos em frente ao Congresso de Deputados espanhol - anunciou a convocatória de um "debate sobre o estado da corrupção", marcado para quinta-feira na Puerta del Sol, no centro de Madrid.

O debate foi convocado para coincidir com o segundo dia do Debate do Estado da Nação, que começa hoje com a intervenção do chefe do Governo, Mariano Rajoy e que se antecipa seja dominado pelos temas da corrupção e da crise.

Dois elementos da Coordenadora 25S explicaram aos jornalistas que se trata de promover um debate público "sobre o estado da corrupção atual e a necessidade de um processo alternativo ao atual sistema", que decorrerá entre as 18:00 e as 21:00.

Em vez da Praça Neptuno, onde a Coordenadora 25S realizou, no ano passado, polémicas manifestações em frente ao Congresso de Deputados, desta feita foi escolhida a Puerta del Sol, que em 2011 se tornou 'palco' do movimento dos indignados.

"É um marco mais adequado para este tipo de convocatória", disse um dos elementos da Coordenadora 25S, referindo-se ao local onde, esta semana, se ouviu cantar uma versão espanhola da canção "Grândola Vila Morena".

"Queremos dar voz ao povo, às pessoas, que expressem o que de verdade está a ocorrer nas ruas e que é muito diferente do que se debate no Congresso", disse.

A Coordenadora 25S apoia também um outro protesto: uma "Maré Cidadã" que no próximo sábado, 23 de fevereiro, realizará uma marcha para "exigir uma verdadeira democracia", "contra os cortes".

O protesto pretende denunciar o que os convocantes consideram ser "um golpe de Estado dos mercados", explica a convocatória distribuída pelas redes sociais, coincidindo com o 32.º aniversário da tentativa de golpe em Espanha.

Mais de 140 grupos civis participam na convocatória da "maré", que incluirá várias cores para representar vários setores públicos -- verde para educação e branco para saúde -, assembleias do Movimento 15M e elementos da Plataforma de Afetados pela Hipoteca, entre outros.

Na prática trata-se de mais de 50 manifestações e concentrações em todo o país, mais quatro marchas convocadas em Madrid, com quatro pontos de partida e a confluência na Praça Cánovas del Castillo, próximo da fonte de Neptuno.

O manifesto da convocatória exige travar "o golpe de Estado financeiro", dando prioridade aos direitos sociais sobre os interesses das elites económicas.

"Não devemos, não pagamos" é o lema do protesto que quer acabar com a corrupção.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG