Impedida de viajar com garrafas de vinho na Turquia

Uma mulher turca tencionava viajar de barco até às Ilhas Príncipe no mar de Mármara quando o acesso lhe foi vedado por um oficial de segurança. Ceren Sungu queria transportar consigo quatro garrafas de vinho, algo que o oficial considerou ofensivo durante o Ramadão.

A empresa de transportes IDO confirmou o incidente mas afirmou ter sido um mal entendido e que aquela não é a política da empresa, segundo noticia o jornal espanhol ABC. "A IDO não tem restrições contra garrafas lacradas de bebidas alcoólicas. Foi aberto um inquérito e as ações dos seguranças estão a ser investigadas pela administração. Pedimos desculpa aos clientes lesados pelo incidente", cita o jornal.

Este não é o primeiro incidente do género nos últimos meses em Istambul, na Turquia. Em junho, Yagmur Yilmaz, uma outra mulher de 21 anos, afirmou ter sido impedida de entrar num autocarro, devido às suas roupas supostamente inapropriadas, por um grupo de 15 "fanáticos religiosos, vestidos com burqas, capas e turbantes". "Vamos pecar se entrares no autocarro, estás a obrigar-nos a pecar", gritou uma mulher. "Olha para ela, com a cabeça descoberta, que vergonha", acrescentou um homem.

Uma outra ainda, Nurcan Ibrahimoglu, jogadora de voleibol, entrou num autocarro e saiu com um ferimento no lábio provocado por um soco. Um homem começou a insultá-la pelas suas roupas desportivas e curtas e quando esta lhe respondeu, o homem reagiu violentamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG