Imagens de webcam do Yahoo intercetadas por espiões

Agência de espionagem britânica intercetou e guardou imagens de webcam de milhares de utilizadores do Yahoo para testar programa de reconhecimento facial.

A agência de espionagem britânica GCHQ (Government Communications Headquarters) com ajuda da NSA (Agência Nacional de Segurança Americana) intercetou e armazenou imagens de webcam de mais de 1,8 milhões de utilizadores do Yahoo de todo o mundo que não eram suspeitos de nada, segundo o jornal "The Guardian" que cita documentos confidenciais.

A GCHQ recorreu a este método entre 2008 e 2010 para testar um novo programa de reconhecimento facial, o "Nervo Ótico". Muitas das imagens, que o programa recolhia a cada cinco minutos dos chats do Yahoo, eram de conteúdo sexualmente explícito.

Os testes do "Nervo Ótico" pretendiam apurar se o programa teria a capacidade de reconhecer rostos de criminosos ou terroristas entre os rostos dos utilizadores de câmaras web.

Os utilizadores de contas Yahoo foram o alvo escolhido pela GCHQ, uma vez que, segundo os documentos a que o "The Guardian" teve acesso, "os alvos da GCHQ utilizam webcams da Yahoo".

O jornal afirma que a GCHQ pode não possuir os meios técnicos necessários para assegurar que as imagens dos utilizadores de todo o mundo não fiquem armazenadas algures.

O Yahoo, quando contactado pelo "The Guardian", negou qualquer conhecimento ou autorização prévia do programa, afirmando que se pode tratar de um "novo nível de violação da privacidade dos utilizadores".

Exclusivos