Igreja de Berlim autoriza militantes a acampar no adro

Os militantes do movimento "occupy" de Berlim podem acampar provisoriamente no adro da igreja paroquial protestante no bairro de Mitte, com autorização das respetivas autoridades eclesiásticas, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a paróquia da igreja diz que foi decidido autorizar o acampamento, "após longo debate". Junto ao templo protestante estão já há alguns dias várias pequenas tendas para dormir, uma cozinha e uma tenda maior para reuniões de grupo. Além disso, será dado apoio ao movimento "occupy" para conseguir lugar para um acampamento "mais próximo da opinião pública", como pretendem, diz-se ainda no comunicado.

Desde 15 de outubro, data em que cerca de três mil pessoas participaram numa manifestação do "occupy" em Berlim, a exemplo do que aconteceu em quase 200 cidades do mundo, os manifestantes tentaram repetidamente acampar diante do parlamento federal, mas foram sempre impedidos pela polícia. Antes da autorização concedida pela igreja paroquial de Berlim-Mitte , o "occupy" exigiu ao burgomestre da capital alemã, Klaus Wowereit, que lhes disponibilize um espaço para acampamento até 11 de novembro. Caso contrário, o "occupy" vai montar acampamento "em local central", advertiram.

Florian Raffel, ativista do "occupy", congratulou-se, entretanto, com a decisão da igreja protestante berlinense, considerando-a "um pequeno marco num longo caminho". O "occupy" na Alemanha, que também mantém há várias semanas um acampamento em Frankfurt, diante da sede do Banco Central Europeu, condena o sistema financeiro internacional e exige mais justiça social, como os seus congéneres nos EUA e na Europa. Em Berlim, voltaram a protestar no sábado passado, desfilando pelo centro da cidade, com muito menos participantes do que na primeira manifestação. Tencionam, no entanto, manter a convocatória para os sábados todas as semanas, fazendo também debates "ad-hoc" junto do parlamento, diariamente, ao fim da tarde, para quem quiser usar da palavra, inspirados no movimento espanhol "15 de março".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG